E se craques de hoje jogassem nos “tempos de antigamente”?

As comparações entre diferentes épocas do futebol são, na maioria das vezes, inúteis.

Com jeito de firula que não vai em direção ao gol, levantam questões repetitivas as já tradicionais “Queria ver o Pelé jogando com a marcação de hoje”  ou  “Neymar precisaria brigar por posição na seleção de 70”.

Mas o site Paladar Negro criou uma forma original de unir craques do presente ao passado, transformando os visuais dos boleiros de hoje em figurinhas com o charme e o fahion way das décadas primevas do futebol profissional.

 

 

Drible da Vaca

Drible da Vaca, por Neymar.

Tradução livre (ING): Cow Dribble

Ínterprete do GIF: Neymar / Seleção brasileira.

Como se diz “Drible da Vaca” em:

Inglês: Pass around a player’s legs

Francês: Grand Pont

Alemão: Trick, bei dem der Ball rechts bzw. links am Gegner vorbeigespielt und dieser auf der anderen Seite umlaufen wird

Espanhol: Autopase

Italiano: Drible da vaca

Não há como se confirmar a exata origem do termo.

A lenda urbana, ou melhor, rural, diz que a expressão “drible da vaca” teria aparecido durante peladas nas fazendas do Brasil. Tocar a bola de um lado e pegar do outro era o jeito de desviar dos animais que pastavam nos campos de futebol improvisados.

No Brasil, o drible da vaca também pode ser conhecido como meia-lua, embora seja difícil não reconhecer que há muito mais carisma e poesia na primeira forma.

Nas línguas saxônicas não encontrei qualquer registro de uma expressão correspondente a essa finta. Por isso, fui obrigado a colocar uma pequena descrição em inglês e outra ainda maior em alemão (encontrada em um arquivo traduzido do francês).

Já os italianos utilizam o termo como foi batizado pelos brasileiros.

Contratação de Neymar e o drible do baú

Crédito Imagem: AFP
Crédito Imagem: AFP

Depois de reunir algumas evidências e colocar o marido na parede, mesmo que a marca de batom na gola da camisa seja evidente, é normal escutar muitas explicações. Não raro, uma traição é seguida por confusas, às vezes minuciosas, mas nem sempre claras desculpas. Há quem até uma testemunha encontre para justificar o deslize: “ele ou ela é prova de que eu estava lá!”.

Nas últimas semanas, a contratação de Neymar para o Barcelona cada vez mais se parece com um caso de marido (ou mulher) traído (a). A primeira mancha na cueca foi divulgada pelo jornal espanhol El País, com documentos  indicando que o valor divulgado pela transação não batia com as contas íntimas de Barcelona e os empresários do jogador. Sandro Rosell, que pelos seu histórico de laços afetivos (na letra R de seus contatos, encontraremos Ricardo Teixeira) não é voz mais confiável, foi o primeiro a explicar. Mas bastaram uma espremida e ele logo pulou a janela para longe do cargo de presidente do clube.  Depois, o novo presidente blaugrana, Josep Maria Bartomeu, e o empresário e pai do craque, Neymar da Silva também deram suas versões. Cada vez parece mais difícil convencer aqueles que se sentem enganados. 

O primeiro deles é o sistema financeiro. Há evidências de que a transferência do craque tenha pulado a cerca da fiscalização e, por baixo dos lençóis, milhões tenham sido omitidos para fugir dos impostos. Jamil Chade, em matéria do Estado de S.Paulo, relata que se for verdade, esse não é um caso isolado. O futebol omite R$ 4,8 bilhões em contratos de jogadores. Isto é, a transação de Neymar não seria a primeira longe dos olhos da fiscalização. Estima-se que a cada dez dólares negociados no mercado da bola, quatro não aparecem nos registros oficiais.

Mas como é natural em casamentos que envolvem dotes tão vultosos, há outras partes envolvidas. No caso, os companheiros de clube de Neymar. O possível flagra de uma quantia considerável de dinheiro escondida dentro armário do Barcelona e do pai de Neymar, torna difícil evitar que o ciúme não se propague como uma faísca em barril de gasolina entre outros jogadores do time. Afinal, quantos deles, fieis há tanto tempo, não aceitarão com naturalidade um possível favorecimento ao jovem Neymar e ainda reivindicarão mais benefícios como compensação? O próprio Neymar fica em uma situação constrangedora (para não dizer que está com aquilo na mão) nos vestiários. Não me entendam mal. Quero dizer é que mesmo não cuidando dos negócios de sua transferência, o jogador acabará pagando o preço da discórdia e da rejeição e pode sofrer as consequências do abandono dos colegas. Neymar está espremido como uma espécie de Anna Kariênina do futebol, dividido entre uma autêntica paixão que é jogar bola e as obrigações de um contrato matrimonial que não foi por ele estabelecido.

Por último, está aquele que sempre fica com os cornos a coçar: o torcedor. Esse pobre diabo para quem, em transas sutis ou manobras explícitas, acaba sempre ficando com as maiores obscenidades. Os indícios financeiros que colocam em xeque a união Neymar / Barcelona, como em qualquer relacionamento, ferem a paixão da torcida. Por mais de uma vez ouvimos juras de amor como a principal razão de Neymar se unir ao Barcelona. Não era um simples golpe do baú, disseram. O amor à camisa e por sua trajetória profissional teriam sido as principais razões para que Neymar rejeitasse tantos pedidos de pretendentes mais ricos. E o sentimento do jogador pode e deve ser sincero. O problema, de novo, será convencer.

Sendo um entre muitos no mundo do futebol, as soluções para impedir que negócios como esse escondam outras relações parece distante. Falam-se em multas astronômicas contra o Barcelona. Mas sabemos que essas sanções, em geral, tornam as escapadas mais sofisticadas, mas não as extinguem. Dificultar já é um passo, é verdade. Mas deixar tudo na mão da Fifa soa muito com a clássica comparação daquele que flagra a mulher no sofá com o amante e troca o objeto de decoração. A entidade máxima do futebol também precisa confirmar a sinceridade em seu envolvimento com as Copas do Mundo na Rússia e no Catar, só para dar dois exemplos.

Por ora, só nos resta ficar ouvindo esfarrapadas explicações porque amor pelo futebol acaba perdoando. Mas a gente fica com aquele sentimento de que o dinheiro sempre pode estragar uma relação.

12 pensamentos excitantes (ou não) sobre sexo antes do esporte

Para celebrar o Dia dos Namorados, nada melhor do que esporte e sexo. Para alguns, o problema é a ordem das coisas. Separei 12 visões, algumas célebres, sobre a prática do esporte universal antes do esporte nacional.

CONSERVADOR
Telê Santana: “Eu, como fui jogador, acho que o sexo antes do jogo, um dia antes, por exemplo, não faz bem. É um desgaste muito grande do jogador, e esse desgaste vai refletir lá dentro do campo”

ASSÍDUO
Romário: “Sexo antes do jogo sempre me ajudou”.

MELHOR DO QUE… LASANHA?
Ronaldo Fenômeno: “É um tabu sério que existe no futebol de que o sexo atrapalha. Eu acho que masturbação atrapalha muito mais. Cansa muito mais que o próprio sexo”

RECATADO

Kaká: “Acho que tudo tem seu tempo. Antes do jogo a gente está concentrado, e não há tempo para ficarmos pensando nisso. Depois do jogo, quando estivermos tranquilos, tudo bem. Pensa na esposa, faz sexo e outras coisas”


VIRGEM 
Neymar (em 2011): “Se atrapalha ou não, eu não sei, porque ainda não fiz”,

POLÍTICO

Fred: “Antes dos jogos, estamos concentrados com mais 30 homens no hotel. Nunca fiz e nunca vou fazer sexo às vésperas de uma partida”.

ABSTÊMIO
Dunga: “nem todo mundo gosta de sexo, vinho e sorvete. Temos que respeitar”.

PONDERADO
João Saldanha: ““homem, quando arranja mulher nova, quer mostrar serviço e acaba tendo um desgaste maior”.

LIBERAL
Casagrande: “Sexo não faz mal nem antes nem depois do jogo. Só durante.”

ROMÂNTICA

Hortência:  No meu caso, eu acho que ajuda, quando você faz uma coisa por amor – sexo é uma coisa que você faz por amor. O sexo me realiza e quando a mulher se sente realizada, produz muito melhor. 

ESPECIALISTA
Laura Muller (sexóloga): “Depende quem é esse atleta, de como ele se relaciona com a sexualidade. Se o sexo vai gastar muita energia, se a transa for muito longa, pode não ser legal. Agora, se isso vai dar mais pique… Às vezes a pessoa tem uma relação que energiza, traz um novo colorido, mais motivação”.

SABEDORIA POPULAR
Autor Desconhecido: “Sexo antes do jogo só atrapalha se atrasar a partida”