RITA LEE

  • SumoMe

Rita LeeMuita gente diz que ela é a “Rainha do Rock brasileiro”. Como não sou fã de nenhum tipo de monarquia ou realeza, prefiro dizer que Rita Lee é a primeira-dama do estilo. Mulher que representa o rock em música, atitude e longevidade.

Para Caetano, ela é a “melhor tradução de São Paulo”. Da cidade de São Paulo, que fique bem claro. Porque nessa íntima relação de Rita Lee com a capital paulista, no futebol ela se dá com o Corinthians.

Figura marcante nos atos da Democracia Corinthiana, movimento que pleiteava maior participação de todos os jogadores nas decisões do clube no momento em que o país vivia uma Ditadura Militar, Rita Lee foi a comícios e até registrou cenas clássicas ao lado de Sócrates, Wladimir e Casagrande.

Algumas delas podem ser vista no documentário  “Democracia em Preto e Branco”, de Pedro Asbeg, em que Rita Lee faz a locução do bom filme que conta com imagens e depoimentos importantes e esclarecedores sobre o movimento que chacoalhou o Corinthians e, por tabela, a política brasileira.

Rita Lee também compôs uma música, com Arnaldo Baptista, seu lendário parceiro dos Mutantes, que cantava seu estranho gosto pelo sofrimento, tradução da sua paixão pelo Corinthians. A canção, de 1972, foi chamada “Amor em Preto e Branco”.

Até este blogueiro tem um pequeno causo futebolístico com Rita Lee. Na manhã seguinte a uma das mais vexaminosas eliminações do Corinthians na pré-Libertadores, contra o Tolima, pedi em tom despretensioso para que ela mandasse todos da minha timeline, que tripudiavam como o Corinthians naquele momento, tomarem naquele lugar.

Pois Rita Lee atendeu prontamente. Copiou meu pedido em seu próprio post e acrescentou: “Vão tomar no cu!”.

Tuite rita lee